Compre Jesus

Hoje na rua tinha um motoqueiro com uma camiseta assim:

Jovens,
Esta é a
Saída
Unica da
Salvação

Aí eu fiquei pensando… isso NUNCA vai atingir quem realmente deveria ser atingido. E isso me levou a pensar outra coisa… se as igrejas investissem em marketing como as empresas normalmente investem, como seriam as campanhas para atrair fiéis? Isso ia dar um bom teste ou concurso para os designers e marketeiros de plantão hein…

Um dia na vida do Primo

Ontem eu resolvi fazer a coisa mais babaca do mundo: documentar meu dia com fotos*. Taí o resultado, vamo vê o que vocês acham.

07:15 – É quando eu acordo. Mas fico 5 minutos tentando sair da cama …

07:32 – Depois do chuveiro, é hora de dar comida para os peixes. E preciso comprar outro sabonete.

07:34 – Hora de vencer a vontade de voltar para a cama, arrumá-la, dobrar os cobertores e ir embora.

07:47 – Estou atrasado, já devia estar a caminho mas estou só entrando no carro, abrindo o portão…

07:51 – A trilha sonora da manhã, no carro, é o disco “Madonna”, da banda “…And You Will Know Us By The Trail Of The Dead”. Era a primeira vez que ouvia o disco, emprestado pelo primo Luiz. Achei bem energético, sei lá.

08:02 – Dois minutos atrasado e ainda estou na Av. Amazonas, nem passei pelo centro. Ah, o Edifício Acaiaca, aquele do post de outro dia, da história com o mouse, é esse aqui, o amarelo. Passo em frente a ele todo dia. Ele é famoso também pelos “índios melequentos”, pena que eles não aparecem na foto.

08:04 – Páro na Av. Assis Chateaubriand (na foto, lá embaixo, o Viaduto da Floresta) para ir na padaria comprar meu “café da manhã”.

08:17 à 12:03 – Trabalhar…

12:15 – Hora do almoço, pego a Av. do Contorno para encontrar com Bethânia, minha namorada. Mas só vou almoçar mesmo às…

12:45 – Meu prato deu umas 380 gramas. O dela eu não lembro.

12:59 – Levei quatorze minutos para esvaziar o prato. Ela também. Depois, subimos para a…

13:44 – Praça do Papa. Dá uma bela vista da cidade de lá de cima. E dá muito pombo e gente fumando maconha também. Ao fundo da praça, cujo nome de verdade nem eu sabia que era “Gov. Israel Pinheiro”, tem a famosa Serra do Curral.

13:51 – Vou atrasar pra voltar ao trabalho de novo… nessa hora estava passando pela Praça da Bandeira. Com um céu azul desses e eu indo me enfurnar numa sala fria…

14:12 à 17:57 – Trabalhando mais um pouco…

17:58 – Já estava fazendo hora pra ir embora, e saí pra ajustar a máquina para as fotos mais “noturnas”. Tirei essa foto da fachada do prédio (com o nome antigo da empresa) para testar.

18:10 – Já estou no carro. A trilha sonora da noite vai ser Solex. Achei o disco meio infantil, repetitivo… sei lá, gostei não. Logo que saio do estacionamento, dá uma visão linda do fim de tarde atrás de uma antena de celular que fica no fim da rua.

18:20 – Vou ao centro comprar um presente de aniversário para um amigo mas, como o viaduto Sta. Tereza está em obras, pego um desvio pela Av. dos Andradas e passo debaixo do Viaduto da Floresta. Depois disso, fui na Galeria do Othon Palace encontrar (de novo!) com Bethânia, mas a bateria da câmera acabou… 🙁

20:00 – Já cheguei em casa e recarreguei a bateria. Tou com o presente comprado… hehehe! E estou saindo para levar uns CDs pra casa do primo Luiz.

20:27 – O elevador do prédio dele está bichado, tive que ir de escada. Sorte que são cinco andares. No quarto andar, um quadro estranho no hall… nunca tinha visto (e provavelmente, nem ele viu)

20:30 – Toco a campainha, mas escuto sirenes vindas de dentro do apartamento. “Ele deve estar jogando GTA”, pensei. Tive que tocar a campainha de novo até ele abrir a porta (e sim, estava jogando GTA) 🙂

21:15 – Depois de umas piadas, de devolver os CDs e copiar arquivos, Luiz já estava bem à vontade, sem sapatos, papeando no celular. Enquanto isso, deu fome e fui procurar algo na geladeira. Mas apartamento de homem é foda… e fiquei só com um iogurte mesmo.

22:42 – Bethânia chegou da aula (ela estuda do lado da casa de Luiz) enquanto estávamos fuçando os CDs de Luiz. Vimos mais uma ou outra coisa e fomos embora. Só cheguei em casa às…

23:26 – Entrei com o carro, e a fome apertou um pouco mais. Pouca coisa na geladeira daqui de casa. Fiquei com uns pedaços de queijo e mais iogurte… e fui montar este post, jogar um GTA, mexer na Net… e só agora que eu vi que são

01:49 – Tou fudido pra acordar amanhã… Mas, paciência. Hora deescovar os dentes e ir pra debaixo das cobertas.

Parabéns… você viu o quanto o meu dia é normal 🙂

* – Update: Todas as fotos sumiram ao longo dos anos, conforme este blog foi mudando de servidor. Malz aê.

Ripley e Mulher Half-Ogre

Hoje a Sigourney Weaver (a Ripley, do filme Aliens) fez aula de spinning comigo. Tinha uma menina lá igualzinha ela, com o olhão caído e aquele sorriso que só mostra os dentes de baixo.

E na esteira, do lado de onde nós fazemos a aula, tinha uma mulher monstruosamente esquisita. Não era nem feia não, era estranha, era uma mulher baixinha, musculosa igual homem (credo), muito queimada de sol (estilo jogadora de vôlei de praia) e com aquele sorriso de viciada em endorfinas. A esteira dela estava na inclinação máxima e ela devia estar “andando” a uns 10 km/h (é o triplo da velocidade normal de andar).

Durante a aula eu olhava pra ela e pedalava até mais rápido. De medo.

Mexa para conectar

Tou sem saco de trabalhar, vou contar uma coisa aqui.

Eu trabalhei por uns 6 meses no suporte de um provedor de internet que chamava Easy Way. Ele foi comprado pelo Terra, e como a minha função só tinha perspectivas de piorar muito, larguei o serviço.

O último suporte “externo” que fiz, ou seja, de ir na casa do cliente, foi um dos mais estranhos. Claro que teve outras estranhices, teve uma vez que eu instalei internet num computador com Windows em chinês, mas isso não vem ao caso… 🙂

Nesse meu último dia, fui ao famoso Edifício Acaiaca, aqui em Belo Horizonte. Era uma manhã movimentada porque um cara tinha se suicidado, pulou do prédio e caiu em cima de um táxi. Aí, cheguei no trabalho do cara, e o computador dele só conectava na Internet com muito custo e, mesmo assim, a conexão não durava muito. Estou eu lá, examinando o que era, olhei tudo e não achei problema nenhum…

Daí, eu tentava conectar pela décima vez, estava brincando com o mouse, dando uns tapinhas nele com a mão para um lado e para o outro, já sem paciência… e de repente, conectou. “Oh! Funcionou!” disse. Nesse meio tempo, parei de mexer o mouse e a linha caiu. Aí, desconfiei de uma coisa…

Tentei discar de novo e fiquei mexendo o mouse. Aí, conectou! Parei de mexer o mouse, a linha caiu na mesma hora. Tentei conectar sem mexer o mouse e o modem nem deu linha…

Pois é… o computador do cara só conectava se você ficasse mexendo o mouse. Provavelmente algum problema maluco de conflito de IRQ entre o mouse e o modem…

Coisas de contar em blog

Me mandaram isso aqui no email, seguido da frase: “Isso é coisa de contar em blog!”. Então, tou contando!

Hoje tava tendo aula de Geometria e o professor, pra alegrar a aula, disse que a aula estava ‘poética’. Daí vira um cara ‘cool’ que virou ‘coolzão’ e disse: ‘Tomara que a prova seja poética, professor…’ E o cara respondeu: ‘Vai ser poética mais vai ser CRIPTOGRAFADA’

Aí virou o mais ‘Coolzão’ de todos e disse com aquele ar de ‘essa vai ser foda’ e disse: “Nó! Chico Xavier!” E de repente, um cara que PSICOGRAFAVA virou cracker…

Conselhos eleitorais do Ratinho

Sábado passado eu e minha namorada rolamos no chão de rir do João Kleber no “Eu vi na TV”. Ela nunca tinha visto o tal programa, eu também, então fomos experimentar. E foram muitos risos.

Mas o mais engraçado foi durante os comerciais… aparece o Ratinho falando e apontando para a câmera:

– Você aí que vai votar, vê se vota direito!!! Não vota nesses babacas aí não!!

Aí a cena corta e aparece um candidato ao governo de São Paulo, completando:

– É isso aí, Ratinho! Vote em blá blá blá….

E a essa altura eu já tava rolando no chão de rir.

Quotes de email

Olha um macmaníaco da lista BHCult falando… fiquei estranhamente feliz com o q ele disse…

>Ô Luiz… cê é um que mexe com Mac né?
Era… Macintosh ficou muito caro sô.
Nesse mundo cruel tive que migrar para Intel.

Esse outro abaixo é um provando que ser cool é um “cool”, o que acaba te tornando um “coolzão”

Para mim, “Here Comes Your Man” era a música perfeita para embalar meus sonhos de adolescente e aquelas tardes vazias em que eu me pegava pensando no menino mais bonito da escola ou em como conhecer bandas das quais ninguém nunca ouviu falar faz um bem danado para o ego de qualquer sujeito.

Legal, só você conhece a banda e por isso você é o bonitão da bala chita né?

E numa pergunta sobre como o motorista do último ônibus volta pra casa, um infeliz disse:

Só volta depois de assar o pão e abrir a padaria, oras. Padeiros e motoristas, todos mexem com massa.

Bela tentativa de ser engraçado. Agora repita comigo: “Não fui feliz na tentativa de entreter meus amiguinhos. Prometo me esforçar da próxima vez”.

Teve esse outro, que foi menos tosco:
Ora, ele sai do ônibus, entra na Ferrari dele e vai embora… :-)))