RPGraça

Quando eu voltei do almoço o Excêntrico estava conversando com um colega sobre Vampire – The Masquerade, que é um sistema de RPG. Depois de comentar que joguei uma ou duas aventuras deste sistema, o Excêntrico disse:

– Que ótimo, podíamos fazer um grupo de RPG aqui no serviço… já até sei que sistema iríamos jogar!

E me entregou quatro livros, a saber:

“Mulheres Machonas Armadas até os Dentes” – Na capa do livro (no link aí atrás tem) havia mulheres seminuas segurando armas enormes. Na verdade é uma sátira aos filmes de ação recheados de mulheres gostosonas.

Os outros três livros eram “extensões” do sistema: Freiras renegadas e suas máquinas maravilhosas, “Panteras infernais com asas de morcego” e “Mulheres Machonas no Planeta dos Macacos”

Safadeza musical

Conversando com um amigo no MSN, ele me disse, relativamente ao meu gosto musical:

“vc é um safado que só fica buscando texturas… o que é legal tb mas esquece o feeling”
“O máximo de feeling que vc absorve é o pessoal do kraftwerk falando ‘even the greatest stars despise themselves in the looking glass'”

Eu não sou tão sem-coração assim. Senão não ia doer tanto o fato de eu ter ouvido isso.

Coisas do mundo da consultoria

– Passar 15 minutos trancado no banheiro tentando dar um nó na gravata e acertar o comprimento (na altura do cinto)

– Acostumar-se a tomar café “purinho” (sem açúcar), antes considerado como “água quente barrenta”

– Usar muuuuitos chavões enquanto fala. Exemplos: “trocar o pneu com o carro andando”, “passar batom no porco”, “dourar a pílula”, “ensinar o pai-nosso ao vigário”, “ver chifre na cabeça de cavalo”, “usar um canhão pra matar uma formiguinha”, e inúmeros outros.

– Usar post-it virtual para se lembrar de todos os compromissos.

– Decidir como você vai se vestir baseando-se em quais reuniões você vai no dia.

– Conhecer, em um mês, a quantidade de pessoas novas que você normalmente ficava conhecendo em um ano

– Desenvolver uma técnica visual para fingir que presta atenção nas pessoas de uma reunião enquanto pensa em outras coisas

Audionovela

Acabo de chegar em casa. Meu pai e minha madrasta assistem Celebridade. Na tela, aquela vilã lá que eu (graças a Deus) não conheço se levanta para receber um prêmio, ao som da música-tema da novela.

“Pfft, e aí a Rede Globo premia a vingança”, pensava eu, enquanto entrava no quarto. E, subitamente, o ruído da televisão na sala mudou.

E eu ouvi, espantado, por duas vezes, o barulho do chefão final do DOOM II lançando aqueles cubos saídos do seu cérebro que se transformavam em inimigos…

E enquanto eu escrevia este post, o som da TV mudou de novo. E agora, a mocinha e a vilã estão gemendo e ofegando… eu tentei pensar em alguma coisa diferente, mas minha mente está ocupada por uma palavra em loop. Lesbianismo.

Nunca mais assisto TV. Vou apenas ouvir TV daqui pra frente. É muito mais interessante.

O Primo na Companhia Athletica

Dia desses enquanto passávamos pelo shopping, Bethania cismou de ir conhecer a academia suuuper fashion que haviam inaugurado num dos andares de estacionamento. Acabei concordando porque, na pior das hipóteses, ia dar um post pra esse blog.

Presente no Brasil inteiro, a Cia. Athletica é uma rede de academias de luxo, garbo, elegância e preços exorbitantes. Tipo, uns R$ 200 pelo pacote mais básico de malhação. Vale lembrar que sair correndo pela rua dá no mesmo e sai de graça.

O lugar é enooorme e luxuosamente decorado. Todo tipo de modalidade da moda, como spinning, jump-fit, body pump, power yoga, etc, você encontra lá. Inclusive algumas pouco comuns, como o boxe. Ao passar perto do ringue, haviam mulheres lutando. Segundo a moça que nos atendeu, o boxe é muito popular entre as mulheres da academia.

As salas de aula são bem amplas, com ar condicionado e as paredes são todas de vidro, para alimentar a fogueira das vaidades. O salão de musculação é do tamanho de uma quadra de futebol society, para que a high society possa se exercitar sem esperar algum aparelho ficar vago. Uma dezena de TVs com tela grande fica colocada em frente às esteiras e bicicletas ergométricas. Aí você leva seu fone de ouvido e conecta num plugue especial da esteira ou bicicleta. Um seletor permite que você escolha qual áudio de qual TV você quer ouvir.

Além disso, todos os outros luxos da Cia. Athletica incluem, pelo menos, uma palavra em inglês:

– Pista de cooper ao ar livre (no teto do shopping onde ela se localiza)

– Xampu e sabonete at will no vestiário

Laundry service que lhe fornece toalhas (serviço pago à parte)

– Lanchonete com acesso à Internet (pra blogar depois de malhar)

– Muro para escalada indoor

– Quadra de squash

Child care (berçário) para você deixar seus filhos enquanto malha.

Entretanto, algumas coisas eu não entendi:

– É preciso um exame dermatológico (pago à parte) para poder usar a piscina (também à parte). Se eu tiver muitas espinhas eu não posso nadar?

– As salas de aula possuem um sistema de som para o “tumtistum” habitual. Só que todos os racks de todas as salas tinham pelo menos uma mesa de som de DOZE CANAIS. Destes doze, somente UM era usado: era o da música. Estimando um total de dez salas de aula, teríamos cento e vinte canais de som, mas apenas dez em uso, o que implica em um desperdício de 91,7% dos canais de som da academia.

– Todas as pessoas que vi malhando, ou eram mulheres magérrimas e lindas ou homens magros e musculosos. Justamente o tipo de pessoa que NÃO precisaria estar numa academia.

– A TV do child care era tela plana, 29 polegadas, estéreo… mas não tinha sequer um Super Nintendinho pros pobres meninos jogarem.

Nêrd!

Você sabe que é muito nerd quando está lendo um texto e dá de cara com isso:

“…executam infatigável e obscuramente um trabalho imenso, nos mais variados phpectos…”

E aí leva apenas um segundo para concluir que pegaram o texto e substituíram ASP por PHP no texto todo.