Dez dicas para fotos melhores

20 de junho de 2005, 14:28

Domingo passado eu e meu pai levamos meu irmãozinho, Gabriel, pra brincar num parque. Gabriel adora ficar no balanço, e meu pai estava com a câmera na mão, tentando tirar uma foto no momento mais alto da balançada:

- Mas essa câmera num funciona direito, eu aperto o botão na hora em que quero a foto mas ela demora pra bater…
- Faz o seguinte, aperta o botão só até a metade: aí a máquina vai focalizar e ficar pronta pra bater. Na hora que você quiser a foto, só termina de apertar o botão que ela bate rapidinho.

Só aí ele conseguiu.

Três anos e três câmeras digitais já passaram por mim, e nesse tempo todo eu acabei aprendendo um ou dois macetes que às vezes salvam o dia, como esse da historinha aí em cima. Então, num gesto de altruísmo (com só um pouquinho de egocentrismo), resolvi selecionar dez dicas simples pra quem quer tirar fotos um pouco melhores…

Tire muitas fotos. Muitas. A prática leva à perfeição. Quanto mais você usa sua câmera, melhor você fica.

Fotógrafos profissionais gastam rolos inteiros de filme e tiram centenas de fotos para, no final, selecionarem oito ou dez que realmente ficaram boas. Esse é o maior trunfo das câmeras digitais: “torrar filme” a custo zero. Abuse disso.

Uma vez eu li um conselho no Flickr: Leve sempre sua câmera com você. Eles tem razão: afinal, você pode sair pra andar de bicicleta e dar de cara com um desfile de rua com escoceses e gaitas de fole. Isso aconteceu comigo…

Chegue um pouquinho pro lado. Deslocar o objeto principal da sua foto pode dar bons resultados.


Eu no meio da foto. Sem graça e comum.


Eu, levemente deslocado para a esquerda. Percebe a diferença?

Evite fundos complexos. No exemplo abaixo, o destaque da foto (Gabriel no balanço) não tem destaque nenhum por causa das árvores ao fundo.

Dia ensolarado? Use o flash. Parece estranho, mas o sol nem sempre está no lugar onde a gente quer, e isso provoca sombras indesejáveis nas fotos. É fácil evitá-las, basta forçar a máquina a disparar o flash. Os fotógrafos chiques chamam isso de flash de preenchimento.


A foto da esquerda não tem flash. Note a cara sombreada e o tom escurecido, coisa que não aparece na foto da direita (com flash)

De noite, sem luz nenhuma? Desligue o flash.

Lembra quando passa na TV a cerimônia de abertura dos jogos olímpicos, e na arquibancada dá pra ver os flashes das câmeras das pessoas, pipocando igual num céu estrelado? Pois é. Tá todo mundo gastando pilha atoa, porque o flash só ilumina corretamente os objetos que estejam numa distância entre três a cinco metros da máquina.

A maioria das câmeras modernas permitem alterar o tempo de abertura do obturador para valores absurdos, como 15 segundos. À noite, esta exposição prolongada pode dar belas fotos. O exemplo abaixo foi feito com 13 segundos de exposição e com a máquina imóvel, num tripé (isso é importante para não borrar a foto).

Esqueça o passarinho. Sempre que possível, fuja da foto padrão “todos olham para a câmera e sorriem”. A foto abaixo parece muito mais “real” do que se eu e Bethania estivéssemos com nossos sorrisos estilo “ei, olha! estamos num restaurante!”

Bata o branco. Foi Bethania que me disse essa frase sem sentido pela primeira vez. “Bater o branco” é ajustar a máquina para a iluminação do ambiente onde você está. Em inglês isso chama-se “white balance”, e a maioria das máquinas possui ajustes pré-definidos pra isso.


A foto da esquerda foi tirada sem nenhum ajuste, e as lâmpadas incandescentes da sala deixaram tudo alaranjado. Na foto da direita, a máquina está com o White Balance ajustado para iluminação incandescente, e as cores estão corretas.

Leia o manual! É muito provável que sua câmera saiba fazer coisas que você nem imaginava, porque não leu o manual. Uma delas, que eu gosto muito, é o modo macro, que ajusta a câmera para tirar fotos de objetos pequenos a apenas alguns centímetros da lente, como por exemplo essa formiga.

Cuidado com reflexos do flash. Se você usá-lo em frente a alguma superfície reflexiva (uma vitrine de loja, por exemplo), ele vai aparecer como uma bola luminosa na foto. Evitar isso é muito fácil: é só não ficar exatamente em frente à superfície reflexiva. Desloque-se para que ela fique na diagonal e seja feliz.

Como eu não tenho nenhuma foto com este problema (ahem!), roubei essa aí embaixo do Kodak Guide to Better Pictures:

Agache, levante, deite e role. Tirar fotos sempre de pé e com a câmera na altura dos olhos vai render fotos sempre… iguais.


Esta foto foi tirada de baixo pra cima, alterando a proporção do triângulo em relação ao resto.

2 comentários em “Dez dicas para fotos melhores”

  1. André -

    Ô, Zé, vc pagou direito de imagem pro Gabriel aí? :)

  2. Bruno -

    Uma ótima “Introdução à fotografia” pelo Primo.
    Bem vindo de volta ao Brasil

    P.s: Quem sabe no próximo episóido teremos “Tirando fotos com velocidades de obturação baixíssimas”? Também ficam muito boas.

Deixe um comentário

Se quiser você pode usar os seguintes comandos XHTML nos comentários: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>