Razões para ser lacônico

“Uma frase curta contém muita sabedoria” – Sófocles

“Lacônico” é aquela pessoa que fala pouco. É o oposto do prolixo, aquele que fala pelos cotovelos (e, eventualmente, por alguns orifícios corporais pouco dignos).

A origem do termo é a Lacônia, região da Grécia antiga cuja capital era – veja você! – Esparta.

20080424
Leônidas era um cara lacônico: pouco papo, muita ação.

Reza a lenda que Felipe II da Macedônia escreveu a seguinte mensagem aos espartanos: “Vocês devem se render sem demora, pois se eu trouxer meu exército às suas terras, destruirei suas fazendas, escravizarei seu povo e dizimarei sua cidade”. A resposta dos espartanos foi, simplesmente: “Se”.

Em tempos de overdose de informação, ser lacônico é muito importante. Todo mundo tem muito pra falar mas pouco tempo pra ouvir, o que gera conceitos curiosos como o do “discurso do elevador“: aquela situação hipotética onde você tem apenas o tempo de uma viagem de elevador (tipo 30 segundos) pra passar a sua idéia fantástica de negócio para um potencial investidor.

Ser lacônico só traz vantagens. Uma delas é que suas idéias sempre caberão nos 140 caracteres do Twitter. E cabe muita coisa em 140 caracteres…

“O diabo é Deus de férias” – @exucaveiracover

Na música os bons artistas sempre dizem mais com menos. Exemplo: “Definitions”, música do Minutemen, tem apenas 1:13 minutos. A letra tem apenas sete frases. Não precisava de mais nenhuma.

They say I got a gun in my hand.
Six slugs, six points of view.
Materialism.

They say I have a book in my hand.
Fifty thousand words, fifty thousand translations.
Idealism.

Ooh, I got a dictionary!

Até mesmo os artistas ruins se beneficiam quando são lacônicos. Pouca gente sabe a letra inteira dos nove minutos de “Faroeste Caboclo”, mas todo mundo se lembra da infame frase: “É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã”.

13 thoughts on “Razões para ser lacônico”

  1. Você só esqueceu de dizer que Felipe II da Macedônia acabou levando os exércitos. E o “Se” corajoso dos Espartanos foi para a casa do “C”. Vamos lá amigos do blogueiro, defendam o “menos é mais” também.

  2. Bem, Walter, pelo menos a história deles se ferrando virou filme. Se eles são os perdedores da história, perderam com uma dignidade ímpar 🙂

  3. Laconismo nunca foi muito a minha praia… eu gosto de usar palavras grandes e bonitas! Mas não tenho nenhum problemas com lacônicos, muitos de meus melhores amigos são lacônicos e… ok ok… chega…

    enfim… um convite! to convidando os meus blogueiros preferidos pra participar um conscurso para eleger o blogueiro mais super ultra nerd! e você foi convocado!

    http://culturautilinutil.blogspot.com/

    entra lá.. faz o teste e posta ou me mail os results! tem um premio legal… (além é claro da honra e glória eterna…)

    abraços!!

  4. Gostei da sua explicação!Ajudou-me bastante para eu trabalhar nesse sentido: Ser mais lacônico e menos prolixo!
    Obrigado!;)

    Mário – Portugal

  5. adorei muito pois com essa explicaçao pude me aprofundar mais na historia adprei espero saber mais coisas sobre o que vc escreve

  6. Mas os espartanos era lacônicos por restrição de cultura. Eram exclusivamente devotados para as artes militares, e o termo lacônico se deu justamente por não terem cultura e conhecimento filosófico como nas outras cidades gregas. Laconismo sábio sim, mas laconismo por falta de conhecimento não vira. Apesar de que quem mais fala são os que menos deveriam falar.

  7. Lacônicos são introspectivos, se acham. Se julgam superiores.
    E só ouvem e aproveitam o que os outros ensinam sem darem nada em troca. E se orgulham disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *