A saga do pacote de dados da Tim

Eu costumo dizer que operadora de celular é igual cassino: você acha que está levando vantagem mas, no fim, "a casa sempre ganha". E não adianta: a concorrência aumenta, a Anatel aperta na regulamentação mas o serviço continua péssimo e caro.

Eu coleciono "sagas" épicas de atendimento vagabundo. Quando era cliente da Oi eu ganhei um desconto em aparelho… e precisei de oitenta e um dias e cinquenta e duas ligações para o Oi Atende até conseguir receber o dito cujo em casa. Aí mudei pra Tim – não porque quis, e sim porque os planos são mais baratos pra quem viaja muito – e já precisei recorrer à Anatel duas vezes: uma por um problema de cobrança quando me mudei pra São Paulo e outra porque, por incrível que pareça, um atendente da "central de relacionamento Tim" deu piti e GRITOU comigo no telefone.

Comparativo operadoras de celular

Mas meu episódio mais absurdo com a Tim foi quando tentei, simplesmente, comprar um simples plano de dados pra usar com meu smartphone. Era coisa simples: um pacote de 250MB, pra botar no meu plano (Tim Família) e poder compartilhar a franquia de dados com minha esposa. Só que normalmente estes pacotes são vendidos junto com aqueles modems USB, então o primeiro desafio era explicar para os atendentes que eu NÃO queria um modem USB, só o pacote de dados. Vários não entendiam, então eu tinha que ligar de novo e ver se eu dava sorte de pegar alguém com um pouquinho mais de boa-vontade. Quando finalmente consegui, a atendente me disse que eu só poderia comprar este pacote de dados numa loja Tim. Aí fui numa loja, esperei umas DUAS HORAS para ser atendido… e me disseram que não dava pra comprar meu pacote de dados na loja, só por telefone. "M-mas me mandaram ir à loja!", disse eu. Não adiantou.

Então retomei a maratona de ligações para a Tim. Os atendentes continuavam insistindo que eu devia ir à uma loja, mas eu dizia que tinha acabado de vir de lá. Depois de muita insistência, um dos atendentes disse que tinha um tal "novo contrato" que eu devia assinar pessoalmente. Como eu não tinha o que contra-argumentar para isso, acabei aceitando a explicação.

No último sábado, eu e Bethania estávamos atoa no Shopping Ibirapuera e resolvemos passar na loja da Tim. Mas dessa vez eu não era mais um "garotinho juvenil" inocente e, sabendo da demora, pegamos uma senha, saímos para passear pelo shopping e voltamos mais ou menos 1h depois… bem na hora em que chamaram nosso número.

E aí aconteceu a coisa mais tragicômica que eu já vi. Eu sentei em frente ao atendente, disse que queria um plano de dados e a PRIMEIRA coisa que ele falou foi:

– Plano de dados é só por telefone, com a central.

Eu e Bethania rimos bastante na cara dele e contamos nossa história de pingue-pongue entre loja e central telefônica. Aí ele fuçou no sistema, perguntou alguns colegas e concluiu que, sim, tinha como fazer na loja. Correu tudo bem… até eu mencionar que era para eu e minha esposa compartilharmos a franquia. Aí ele soltou a bomba:

– Olha, aqui no sistema eu só consigo cadastrar o plano em uma das linhas: pra poder compartilhar entre as duas linhas, só ligando para a central…

Era inacreditável. Mas, sem pensar muito, respondi:

– Então liga aí pra nós.

Aí termina a parte "trágica" e começa a parte "cômica". Primeiro o cara pediu o celular da minha esposa emprestado, porque o dele era pré-pago e, segundo ele, ia demorar muito mais para ser atendido. O diálogo dele com a central foi mais ou menos assim:

– Sim, é um plano de dados de 250 MB, compartilhado… não, eles não tem que ir à loja, EU sou o atendente da loja, se eu pudesse já tinha feito, mas só vocês aí podem fazer… não, não tem modem USB junto… tá bom, eu aguardo…

Muitos minutos depois:

– Como é? Seu sistema tá fora do ar?… Ah, é só o SEU sistema, o dos outros atendentes está funcionando??… Então me transfere pra outro atendente…

Instantes depois ele afastou o celular da orelha e disse, frustrado: "Caiu a ligação"…

Imagine a cena: um FUNCIONÁRIO da Tim sendo enrolado pelo atendimento tosco DA PRÓPRIA TIM, ali, na nossa frente. Eu saboreei cada momento de forma sádica e deliciosa. Mas como somos bonzinhos, pegamos o meu celular e ficamos tentando falar na central pra ajudar. E só assim, numa loja Tim, com um funcionário "físico" na nossa frente e DOIS telefones ligando insistentemente para a central da Tim, conseguimos, finalmente, habilitar o plano de dados.

Mas como é difícil dar dinheiro pra essas operadoras, viu…

11 comentários sobre “A saga do pacote de dados da Tim”

  1. Ah, eu não tenho mais paciência pra esse tipo de coisa. Se na primeira dizem que não dá, já falo “então cancela”.

    Simples e funciona. E o mais incrível, é que sempre dá.

  2. Me realizei ao saber que o atendende “físico” da TIM sofreu do mesmo mal que muitos de nós, clientes TIM, já sofremos.

    Mas pior que é como o Highlander falou, se você não está preso a algum contrato fidelidade, o melhor argumento para conseguir agilizar o atendimento, é pedir para cancelar o contrato.

    Ainda mais agora, com a portabilidade numérica ganhando o Brasil.

  3. Ser cliente de operadora de telefonia móvel no Brasil é tipo um episódio de Survivor: só os mais fortes, equilibrados e sábios restarão no final.

    Nem me atrevo plano de dados enquanto a galera não sabe diferença KB e MB.

  4. A busca no Google por “eu odeio a TIM” já subiu para 439! Isto deve ser pelo fato de que agora eles estão COBRANDO para ver os créditos. Muito ridículo isto… pra mim é a mesma coisa de jogar 40 centavos na rua toda vez que pegar na sua carteira. Se não tiver crédito eles devem dizer que “você não tem saldo para consultar o seu saldo”. Dureza…

  5. Oi, obrigado pelo seu texto, ajudou em algo que estu tentando fazer a 03 horas e ainda não consegui nem saber se é possível. Sou cliente Vivo e gostaria de mudar para a Tim Familia e contratar uma internet de 250 MB compartilhada. Então isto é possível mesmo? E se for internet ilimitada que é R$ 49,90 isto também seria possóvel? Saberia me dizer?

    desde já agradeço pois e mais fácil procurar na Internet do que saber isto pela Tim.

    Se quiser pode me responder pelo e-mail. grato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *