Privacidade?

Dez anos atrás e eu falava pros meus amigos sobre os perigos de se colocar a própria foto na internet.

Hoje as pessoas convidam você pra dentro da casa delas, bem no meio da sua sala de estar, para que você se sente com elas no sofá e veja a cara de surpresa/alegria/decepção delas na hora em que anunciam o vencedor do American Idol.

Mas não é só um vídeo. Achei foi um TOP 10 VÍDEOS de reações ao American Idol. E, confesso, assisti quase todos. Meu predileto é esse aí debaixo. Acho particularmente fascinante a transição da cara de “macho dominante mais velho” para “perda total de compostura” do cara no centro, e também a loirinha de óculos (na direita, mexendo no celular) que grita mas olha em volta, como quem confere se está “reagindo certo”.

São tempos muito, muito interessantes estes em que vivemos.

Sobre escritórios e tatuagens

No seriado The Office teve uma hora em que algumas pessoas vão parar num escritório totalmente improvisado e, consequemente, super-tosco.

Daí que o escritório tosco do The Office é EXATAMENTE IGUAL a vários escritórios onde me botaram para trabalhar como consultor.


Não, eu NÃO estou brincando. Esse aí embaixo é em Itajubá, Minas Gerais:

Escritório no auditório


Eu fico vendo essa moda de tatuagens pra lá, piercings pra cá, body modding e o escambau e pensando no quanto a sociedade que vive no ápice da era industrial e tecnológica anda se esforçando pra se conectar com… os costumes da época que eram selvagens.

(Ah, antes que venham trollar nos comentários, NÃO, eu NÃO sou contra tatuagem nem nada. Este comentário é apenas uma constatação isenta de juízo de valor).

Vai virar igreja

Ontem. Augusta. Uma da manhã e eu na porta do Club Roxy para, finalmente, ver Pet Duo tocar  – corrigindo, por sinal, um arrependimento de 3 anos atrás.

Aí ouço uma HORDA de pessoas descendo a rua, gritando e fazendo zona. “Normal, Augusta”, pensei.

O pessoal foi chegando mais perto e os gritos foram ficando mais audíveis e eu percebi que a horda gritava, na mesma métrica do “ahh, eu tô maluco”: “AAAAH!!! JESUS TE AMA!!!”. “Normal, turminha ultrajovem dando uma de herético contracultural”, pensei.

Aí o pessoal foi chegando ainda mais perto e eu pude então ler o conteúdo das camisetas: “Jesus te ama”, “Arrependa-se”, e o escambau. E foi aí que eu percebi que aquilo era realmente uma turma de igreja, que veio descendo a Augusta para pregar a nós, “pecadores”, nos bares e portas de boate. Todos estavam empolgadíssimos, sentindo-se o máximo por serem supostos enviados de Deus excursionando valentes em missão sagrada bem no meio da perdição.

E a turba parou em frente à Roxy e, em coro, gritou: “VAI VIRAR IGREJA! VAI VIRAR IGREJA!”.


Aí você pergunta: e o Pet Duo?

Meu amigo, minha amiga… PUTA QUE PARIU. Destruição TOTAL e ABSOLUTA por HORAS. Saí de lá surdo e feliz.

Expansor Palatino

Quando me diziam que eu deveria usar um aparelho dentário eu respondia: “só vou colocar um no dia que o dentista disser que eu vou MORRER ou ficar banguela se não usar aparelho”. Até que recentemente entrei numas de que aparência é, sim, importante e lá fui eu ao dentista pedir um sorriso Colgate.

A primeira coisa que o cara fez foi me dar um tal expansor palatino. Não confunda: na foto abaixo, é o da esquerda.

image image

O expansor palatino é um mini-instrumento de TORTURA MEDIEVAL. Repare que no meio do aparelho tem um furinho redondo: todo dia de manhã e à noite eu tenho que enfiar uma alavanca nesse furinho e girá-la. A cada giro da alavanca, o expansor se abre um pouco mais e vai separando o palato (o céu da boca), ou seja, eu estou lentamente abrindo meu crânio pelo lado de dentro.

Resultado: meus dentes dóem, estou cheio de aftas, comer qualquer coisa é extremamente frustrante e não fiquei nem um pouco mais bonito até agora – pelo contrário, já que o aparelho me impede de falar direito e eu fico com uma dicção de quem tem língua presa. Ontem eu liguei para uma assistência técnica da Sony (o leitor Blu-Ray do meu PS3 morreu) e o cara estava nitidamente segurando o riso enquanto eu falava: “O número da nota phishcal é quatlo phlêis dois…”.

Hábitos televisivos d’O Primo

Última vez que liguei a TV e vi um programa inteiro da TV aberta: ANOS atrás.

Última vez que liguei a TV e vi um programa inteiro da TV a cabo: MESES atrás.

Última vez que liguei a TV e vi um programa inteiro baixado da internet: sexta passada. Era o último episódio de Lost. E hoje é dia de ver 24 Horas e House.

Última vez que liguei a TV e zapeei e/ou vi parte de um programa da TV aberta: ANOS atrás.

Última vez que liguei a TV e zapeei e/ou vi parte de um programa da TV a cabo: SEMANAS atrás. Possivelmente foi um pedaço de algum Mythbusters.

Última vez que zapeei e/ou vi parte de um vídeo na internet: Err… diariamente? 🙂

Nome de cinco novelas que passam atualmente na tv aberta (de cabeça, sem olhar no Google): Err… Favorita ainda passa? Não, né? Agora é aquela das índias, acho que é Caminho das Índias. Tem a dos mutantes na Record, mas não lembro o nome. Ah, e tem “Caras e Bocas”, e… ok, desisto.

Nome de cinco sites de vídeo online (de cabeça, sem olhar no Google ou nos bookmarks): YouTube, Vimeo, Dailymotion, Joost (que agora é site, e não software), o brazuca Videolog, o CollegeHumor que inclusive produz vídeos, e ainda lembrei aqui do Hulu (que não funfa no Brasil) e do VideoSift, que é um agregador de vídeos populares em vários sites.

Conclusões:

1) Não sei por que ainda não cancelei minha TV a cabo.

2) Como todo império, o da TV está, sim, em franco declínio.

3) Considerando que o império da TV durou, sei lá, uns 50 anos, é possível que eu ainda esteja vivo quando o império da internet começar a ruir. Porque, sim, um dia ela vai ruir, é a sina de todo império.

4) …e eu vou ADORAR poder ver o que virá depois da internet.

5 coisas que você talvez não saiba sobre o Twitter brasileiro

  • Não existem números oficiais sobre a quantidade de gente no Twitter, especialmente no Brasil, mas posso afirmar, com toda a certeza, que mais de 89 mil brasileiros usaram o Twitter nas últimas duas semanas.
  • O brasileiro mais tagarela do Twitter é a @crispassinato, que foi quem mais tuitou nas últimas semanas. Outros usuários adeptos da verborragia, com tweets sendo enviados às centenas, são o @andrepelotas, @nomeaosbois, @icnunes, @jubakun, @__NaH__ e o pessoal do @programapanico.

Abelardo Danger

  • Entre os maiores twittadores brasileiros tem um cara do Rio Grande do Norte, um tal Abelardo Danger (@1milhao), que quer chegar a 1 milhão de updates. Ontem ele estava postando cúmulos, tipo “O cúmulo da rebeldia é morar sozinho e fugir de casa”, e vários são repetidos . Mas falta muito pro Abelardo, coitado: até agora ele tem só 20 mil updates.
  • Parece que o brasileiro ADORA ver TV e tuitar. Os programas noturnos que atingem o público mais jovem sempre aparecem no topo do ranking de assuntos mais comentados: segunda à noite só se fala em CQC, terças e quintas é O Aprendiz, domingo o Fantástico vira o assunto da hora, em dia de futebol só se fala do jogo e por aí vai.
  • Assim sendo, como era de se esperar, os usuários mais retuitados são os que tem programa na TV, como a Rosana Hermann (@rosana), que tem média de 51 retweets/dia, ou a turma do CQC (@rafinhabastos, @marcoluque, @marcelotas, etc), com média de uns 100 retweets/dia. É impressionante ver como qualquer tuitadinha desse pessoal gera uma avalanche de replies e retweets na mesma hora.

    A fonte de todos estes dados são as bases de dados do blablabra.net. Em breve isso vai virar um relatóriozinho diário/semanal/mensal lá no site.