Entendendo o voo da gaivota

Hoje de manhã fui andar com o cachorro e o céu estava mais ou menos assim.

Pra completar a cena, eis que passa uma revoada de gaivotas, voando pro norte por algum motivo. Deviam é ir pro sul e ir parar no México, pra fugir do frio que vem chegando lentamente. E comer guacamole, obviamente.

Esse ano eu parei de usar celular e fone de ouvido ao andar com o cachorro, pra exercitar mindfulness (como fala isso em português?). E me peguei achando aquela cena bem bonita… e então pensando no quanto é estranho a gente achar a natureza bonita. Isso é pré-programado, talvez? O que determina o que é bonito ou feio? E por que a maior parte das coisas naturais nos parece agradável?

Daí o sonso aqui se lembrou de uma frase de Picasso que eu e a Bê vimos no museu de Picasso, no Japão (pois é), e que há meses está escrita no nosso mural de giz da cozinha. Ele diz:

Todo mundo quer entender arte. Por que ninguém tenta entender o canto dos pássaros? Por que as pessoas adoram a noite, as flores, tudo ao seu redor, sem tentar entender essas coisas? Mas quando se trata de uma pintura, as pessoas tem que entender…

Daí foquei em uma das gaivotas. Observei o movimento das asas, às vezes batendo pra se deslocar, outras vezes imóveis e apenas planando ao sabor da brisa. E aí me lembrei de quando era criança e cenas como essas despertavam aquele desejo infantil de como seria legal se a gente pudesse voar. E então lembrei que há muito tempo eu não sentia mais esse tipo de desejo, justamente por que é infantil e eu não sou mais criança.

E então pensei no meu filho, ainda crescendo na barriga da Bê. Pensei em como ele vai passar por todas essas coisas. Em como ele vai sentir esse desejo na sua forma mais autêntica, sem compromisso com a realidade física do nosso mundo duro e pesado. Pra ele, voar vai ser sim uma possibilidade bem palpável. E então fiz um esforço para sentir a mesma coisa: olhei para a gaivota e pensei em como seria fantástico estar lá, acima de tudo, ao sabor do vento.

Quando meu filho olhar para a gaivota e voar com ela em sua mente, eu quero estar junto com ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *