Momento "Engenharia Social"

20080410 A internet do meu hotel aqui em Brasília é simplesmente impraticável de lenta. Já reclamei inúmeras vezes com a gerente e nada aconteceu.

Mas ontem à noite eu me irritei. Era hora de medidas drásticas. Peguei o telefone e disquei.

– Hotel Aaron, boa noite.
– Boa noite. Eu tou aqui no bar tentando acessar a internet sem fio, qual é mesmo a chave da rede?
– É “ponto”, senhor. Tudo em minúsculas.
– Obrigado.

Não, eu não estava no bar do Hotel Aaron. Eu sequer estava hospedado no Hotel Aaron: estou no concorrente, logo ao lado. O telefone eu achei no catálogo.

Ah, como é bom ter internet sem fio na cama…

17 thoughts on “Momento "Engenharia Social"”

  1. Comportamento estranho o seu, principalmente pra quem defendeu a ética acima de tudo alguns posts atrás. Isso é roubo, e você pode estar prejudicando os hospedes do Aaron, que estão pagando pelo serviço.

  2. Walter,

    Seu comentário me incomodou profundamente. Incomodou porque você tem toda razão. Acabou que o vício de internet me impediu de ver a coisa por este lado…

    Portanto, engolindo meu orgulho, peço desculpas. Não vai se repetir.

  3. Desculpas aceitas.

    Mas por aí talvez você também perceba como é fácil se corromper. Muita gente boa cai no mesmo erro, e acaba sendo massacrada por isso. O problema maior acaba sendo mesmo de que lado você está da vidraça.

  4. Caro Walter,

    No caso nao seria “roubo” e sim “furto”… Há uma distancia imensa entre os dois que nao entrarei no merito.

    Concordo com o deslize do nosso amigo Zé, mas ele faz tantas outras coisas que ajudam muito mais outras pessoas, que um pequeno furto, no qual o prejuizo das pessoas seria numa atenuação de velocidade nao fere em nada a ética do autor deste blog. Caso o qual poderia cair no principio da insignificancia. O maximo q poderia acontecer é um hospede nao conseguir acessar os sites de “mulher pelada” tao rapido…

    Vamos para com esse hipocrisia, falso moralismo, etc etc… Ou vai dizer que ninguem aqui baixe mp3/filmes/series/softwares pela internet (crime de incentivo a pirataria), grave filmes (idem delito), compre em shops populares (receptação/descaminho/etc)…????

    E de volta a parte que nos diverte… o Blog do Primo.

    Gabriel

  5. Em tempo: Corrigindo, neste caso este tipo penal que ainda nao existe (pois a Lei de Crimes Eletronicos tramita no Senado ainda). De acordo com a jurisprudencia (SP) nem equipara-se a furto de energia eletrica (pela diferença entre os dois meios), logo inexistindo tipo penal, inexiste crime e sera tratado como uma conduta atipica.
    Zé, nao se preocupe… No maximo um “171” abrandado. (ou nem isso)

    Ps.: nao sou da area de direito, logo me desculpo se falei algo erroneamente.

  6. Já estava achando que você era advogado, Gabriel. Também não sou, mas conheço a diferença entre roubo e furto, dolo e culpa e por aí vai. Você tem razão quanto a definição. Nos dois posts.

    O que está em discussão aqui não é o fato em si, mas a incoerência entre a ação e a postura do dono do blog. Não sou hipócrita e nunca afirmei que não cometo nenhum “delito cibernético”. Faço isso com frequência aliás.

    O próprio Zé pediu desculpas pelo erro, e as mesmas foram aceitas. Creio que se ele realmente regra a vida a partir de determinados princípios éticos já expostos aqui anteriormente, entendeu bem meu recado.

    Quanto à sua defesa, entendo perfeitamente a sua posição, mas considero extremamente irrelevante. Não vejo por que estendermos o assunto, uma vez que já me entendi com o próprio titular do blog, que por sinal venho acompanhando silenciosamente já a algum tempo, e tenho achado bem legal, apesar de não ter o mesmo gosto musical.

  7. Nossa! Quanta polêmica!! 😮
    Foi apenas um acesso!! Qual é?! Viva o mundo Wireless!!!!! 😀
    Quem quiser, que se proteja melhor!!! :p

  8. Isso, aliás, se você encontrar um carro aberto com a chave no contato, por que não levar embora não é mesmo? O dono que se proteja melhor, né Leandro?
    Não é o tamanho da ação que define a ética. Ou você têm, ou não têm.

  9. Aaaaa a ética… a velha e boa discussão sobre o assunto… Em fim… também deve ser ético utilizar recursos corporativos para assuntos pessoais… 😀

  10. Não sei bem o que você tentou insinuar, Leandro, mas apenas para o seu conhecimento, trabalho por minha própria conta. Uso recursos que são de minha propriedade, e os uso na hora e da forma que quiser.

  11. A questão é: Quem com o mesmo grau de exposição que o Primo tem da vida dele pode se declarar santo??? Quando vistos sob uma lupa, várias imperfeições aparecem…

    Quem acredita em carma sabe que a vida cobra seu preço, pode ter certeza que vc vai pagar por isso Primo, e acredite isso é bom….

  12. Walter,
    Me desculpe se vc se sentiu ofendido, com algo que disse, mas não direcionei minha opinião para vc! Se vc trabalha por conta própria, ótimo! Se quiser usar os seus recursos “na hora e da forma que quiser”, melhor ainda! Isso é um assunto que só diz respeito a vc e a sua empresa. Não quiz em momento algum entrar nesse mérito!

    Apenas coloquei de uma forma genérica a questão de uso de recursos corporativos com finalidades pessoais. Apenas isso! Afinal, quem não faz isso?? Apenas apontei uma atitude que acontece em quase 100% das empresas. O que quiz dizer, é que TODOS, de alguma forma, deixamos de ser “ético”, mesmo que sem querer ser! Só isso! Não concorda?! (Acredito ser a Lupa que o Danilo comentou acima…)

    Desculpe novamente pelo mal entendido.

    P.S: Por favor, não deixe suas chaves na ignição do carro aberto, ok?! Assim vc evita ser vítima de uma pessoa sem ética! 😉 (brincadeira, tá?!) rsr

  13. Walter,

    tambem nao quero briga… Mas como conheço OPRIMO há 14 anos, acho q isso nao afetaria em nada o carater do nosso amigo.

    nao quero gerar brigas por aqui tb nao… qqr dia, walter, apareça pra um café ou um chopp para batermos papo…

    Sem ofensas a ninguem.

    Gabriel

  14. Falaí, Zé… esperava q um post sem muito compromisso desse tipo fosse dar tanta repercussão? hehe
    Tô te esperando em BSB pra ver se vc vai resistir mesmo ao wireless do vizinho, sendo que a internet do nosso hotel continua um lixo. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *